segunda-feira, 23 de julho de 2012

Dança do ventre com enfoque terapêutico






A Dança Oriental vem a ser um instrumento, um meio de auxílio em processos terapêuticos sejam estes em psicoterapia, terapia ocupacional ou simplesmente no sentido de “bem - estar” .


A abordagem da Dança como instrumento de transformação e ferramenta terapêutica não é recente, diversos registros em livros sobre Antropologia e Sociologia ressaltam esta função entre tribos africanas e indígenas, além de registros em povoados e regiões longínquas dessa época e das mais antigas.


Pensando no contexto atual, a Dança Oriental oferece um repertório maior de auxílio, pois a mesma possui um leque de movimentos que trabalham diversos grupos musculares, expressividade, elegância, presença em cena, musicalidade, deslocamentos e temáticas folclóricas, que permitem a mulher transportar-se no tempo, nos lugares e ‘brincar’ com os trajes e acessórios de forma única.


Na Dança Oriental trabalha-se priorizando a região do ventre, região esta que somatiza as emoções inclusive as dores, raiva, medos e expectativas (quem nunca teve uma ‘dor de barriga’ por estar ansioso? Ou não sentiu um ‘friozinho’ na barriga ao ver aquele belo par de olhos azuis? E as úlceras, comprovadamente instaladas devido a processos de stress?) 

A medida em que se trabalham movimentos, estes repercutem no psíquico, mesmo que inconsciente. Talvez, essa seria uma das razões fundamentais para a melhora nos processos de baixa auto-estima e melancolia, pois os movimentos “despertam” toda a estrutura corporal.


Se você realiza algum trabalho com dança nesses moldes, certamente já ouviu comentários sobre o tema. Mas por favor, respeite as raízes, leia e busque informações sobre como otimizar esse processo de busca e encontro em suas aulas, seja através das músicas escolhidas, das seqüências de movimento, da respiração ou da utilização do espelho.


À primeira vista, pode parecer surreal uma dança de raízes apontada como instrumento terapêutico, mas deve-se deixar claro que perante a apropriação da cultura oriental pelo ocidente, essas ‘utilizações’ da dança podem ser consideradas um tipo de “licença poética”, na qual é permitida e associação entre Dança Oriental e auxílio terapêutico.


Dessa maneira, é possível perceber uma brecha no campo de pesquisa psicológico científico: a Dança como auxílio terapêutico.

Sim, há os indícios sobre a utilização do espaço, o equilíbrio, o contato com o corpo, as formas, aromas, tecidos, sonoridade, todos esses itens na dança oriental despertam variados estímulos mas seria interessante saber em que mecanismos agem e quais os reais benefícios psíquicos.


 Enquanto estudamos com o intuito de nortear algumas referências para a melhor utilização da Dança Oriental, vale lembrar que se há relatos, mesmo informais, de mulheres que melhoraram consideravelmente após praticar a dança oriental é fato que há nesse nicho uma semente que precisa ser cultivada.


A dança do ventre se compõe de movimentos naturais que trabalham junto ao corpo da mulher e não contra ele . Estes movimentos exercitam e ativam de forma mais suave corpo feminino e suas funções. 

Os movimentos rotativos e os movimentos de ondulação fazem trabalhar os músculos e as articulações em um amplo leque de formas e aos mesmo tempo massageia as zonas do corpo relacionadas, soltando e dissolvendo todas as tensões.


 A dançarina da dança do ventre responde a este chamado com movimentos circulares , ondulantes e suaves do seu torso, quadril, braços e cabeça. Este prazeroso movimento harmoniza o sistema nervoso central, enviando a energia vital e as substancia hormonais a traves de todo o corpo. A mente se torna relaxada e equilibrada.


Através dos movimentos, a dançarina  se centra na sua resposta criativa a musica. Isto lhe permite situar-se e viver o momento presente. E neste estar em transe podem se manifestar estados alterados da consciência que conduzem á bailarina da dança do ventre a experimentar uma sensação de frescor e uma recarga energética uma vez que tem concluído a sua dança.


A dança do ventre é o caminho da cura aberto para todas aquelas mulheres que queiram percorrê-lo.
Quando uma pessoa tem o corpo, a mente, as emoções e o espírito unidos, isto faz com que o estresse não se instale no corpo porque a conformação energética desta pessoa não dá ao estresse chance para se instalar.


A dança do ventre quando abordada do ponto de vista terapêutico rende culto e reverencia ao corpo tão qual Templo do Corpo que ele é . E isto se consegue da execução apropriada dos movimentas dos diversos grupos musculares que entram em interação com a musica.

Através da resposta criativa da dançarina que harmoniza as suas emoções e desenvolve a habilidade de tranqüilizar a sua mente para permitir que a inspiração flua sem nenhuma trava a partir do mais profundo espaço do seu Ser Interior.


A Dança do ventre terapêutica ou qualquer outra disciplina de desenvolvimento pessoal traz uma mudança interior. Da mesma forma que na Ioga, a dança do ventre terapêutica faz com que a mulher moderna desenvolver o seu potencial para expandir a sua consciência e seu desenvolvimento espiritual.



A dança do ventre utilizada como disciplina espiritual se converte numa ferramenta que permite à mulher meditar no presente. Ajuda a fazer com que a mulher compreenda o seu Ser interior por meio da interação que ela faz entre seu corpo ( templo da alma) e seu enraizamento com a terra.

 É como se no interior da mulher se realiza uma união sagrada entre o céu e a terra , entre o humano e o divino, entre e feminino e o masculino.









2 comentários:

  1. Dança é Um dos Melhores Trabalho, Parabéns. :)

    ResponderExcluir
  2. Dança é Um dos Melhores Trabalho, Parabéns. :)

    ResponderExcluir